Visto do Pico‎ > ‎

Consumo de electricidade em Portugal em colapso

Publicado a 21/02/2012, 12:41 por Pico DoPetroleo   [ atualizado a 21/02/2012, 12:43 ]
Quando Portugal aprovou com os restantes membros da União Europeia os objectivos 20-20-20 em 2006 dificilmente os seus responsáveis políticos imaginariam que iriam ser cumpridos tão rapidamente. Seis anos depois o consumo de energia em Portugal está em contracção em quase todas as frentes, a política energética europeia tornou-se largamente irrelevante neste estado. Nos últimos dias foi conhecido mais um número surpreendente, no mês passado o consumo de electricidade caiu 6,3 %, o maior recuo alguma vez registado. Este valor tem em conta a sazonalidade do consumo e as condições climatéricas estando portanto descartadas quaisquer efeitos transitórios.

Se numa primeira fase foram os altos preços dos combustíveis rodoviários que impulsionaram esta quebra do consumo, desde 2010 que é a política recessiva do Concelho Europeu que garante as quebras do consumo. Com o aumento repentino do IVA sobre a electricidade de 12% para 23% e os cortes salariais para este ano o efeito foi imediato. É de esperar que este recuo continue ao longo do ano de 2012, tendo em conta que os cortes salariais implicam que muitas famílias entrem em incumprimento com os empréstimos à habitação, dessa forma deixando mais alguns lares vazios, sem consumir electricidade.

Aparentemente esta política de austeridade está a ter um efeito positivo no défice comercial de Portugal, o principal elemento da crise económica que o país atravessa. Mas este efeito é meramente numérico, naturalmente que o empobrecimento das populações reduz o consumo de produtos importados, mas não está em marcha qualquer reforma económica para efectivamente reduzir a dependência do estrangeiro, em especial nos sectores da Energia e da Agricultura. Qualquer esforço subsequente para retomar o crescimento irá esbarrar nos velhos problemas da infraestrutura de transportes quase totalmente dependente do Petróleo e numa produção agrícola desgarrada e anémica; qualquer incremento da actividade económica continuará a implicar a expansão do défice comercial. Enquanto este nó não for quebrado Portugal não tem saída.

A política de Austeridade é, perante este cenário, uma forma de quem lidera o país e o Concelho Europeu negligenciar o poder. É um voltar de costas à responsabilidade elementar que têm os políticos de liderar os cidadãos, de perscrutarem caminhos para o futuro. Limitam-se a uma retórica assustada (ou assustadora?) que nada resolve, nada reforma, apenas distribui pobreza. Dificilmente serão este líderes alguma vez lembrados com saudade.
OJE
Consumo médio de eletricidade teve maior quebra dos últimos 20 anos em janeiro
17/02/12, 17:25

O consumo médio de eletricidade teve em janeiro a maior quebra das últimas duas décadas, segundo dados da Redes Energéticas Nacionais (REN) divulgados hoje pelo Instituto Nacional de Estatística (INE).

De acordo com os números do INE, o consumo reduziu-se 6,3% em janeiro deste ano, por comparação com o mesmo mês de 2011, confirmando uma tendência de aceleração na quebra do consumo de eletricidade desde o aumento da respetiva taxa de IVA.

Estes dados referem-se ao consumo médio de energia elétrica em dias úteis, e são corrigidos dos efeitos da temperatura.
Comments